BioPeixe.com

Bio Beixe

Tudo o conhecimento para o seu aquario
Esta página teve 117 views
Alguns concelhos para um aquário para o Cabeça de Fogo ou Hemigrammus bleheri

As diferenças sexuais os Cabeça de Fogo (Hemigrammus bleheri) são muito subtis. Mas se ficar atento na ilustração mostrada em artigos anterior, que foi destacado as 3 espécies de Cabeça de Fogo, com suas despectivas diferenças veja os detalhes sexuais dos peixes (LINK)

MENU:

1 – Alimentação

2 – Parâmetros de Água

3 – O Aquário

4 – Decoração

5 – O Substrato (solo)

A observação ao vivo, com vários Cabeça de Fogo bem à sua frente a nada no aquário, é bem difícil de se ter uma perceção para diferenciar os sexos. Mas com uma certa pratica e ao longo do tempo, será bem mais simples ver as diferencias.

Os machos são, normalmente, mais esguios e menores e as Fêmeas ficam mais corpulentas (mais “gordinhas”), principalmente nos momentos pre-reprodutivos.

Em complemento deste artigo, veja também:

Noções básicas da reprodução do Hemigrammus bleheri ou Cabeça de Fogo

Um aquário plantado especialmente pensado para os Cabeça de Fogo


1.        Alimentação

O Hemigrammus bleheri é um peixe onívoro, ou seja, aprecia qualquer tipo de alimento (vivo, natural ou rações) que possa ingerir, tanto de origem animal como vegetal. Ele é também Zooplanctófago, isto é, aprecia microcrustáceos e rotíferos do zooplâncton. Gosta de se alimentar à meia água, e apreça-se sempre na buscar também alimentos que esta a flutuar na superfície ou alimentos que estão no fundo do aquário. Como tem uma pequena boca, aprecia alimentos bem pequenos.

Veja algumas boas opções alimentares:

  • Ração em flocos de vários sabores.
  • Ração granulada que afundam, igualmente de vários sabores.
  • Artemia salina viva (congelada ou hidratada).
  • Bloodworms congelado (descongele-os antes de dar aos peixes).
  • Patês diversos (exemplo: coração de boi cru + espinafre passado por água a ferver, por 10 segundos + batata doce (ou cenoura, ou abóbora). Moer tudo e congelar). Descongelar o patê e oferecer aos peixes.
  • Daphnias (pulga d’água).
  • Larvas de insetos.
  • Larvas de mosquitos.
  • Enquitréias.
  • Microvermes.
  • Tubifex.
  • Drosófilas (mosquinhas da fruta).
Cabeça de Fogo

Bloodworms

O mais importante, é sempre variar a alimentação ao dia, não deem o mesmo alimento mais de uma vez por dia.

Faça um “menu especial” para o seu Cabeça de Fogo. Vários alimentos diversificados complementam-se entre si, e nutrem bem os peixes. As boas propriedades nutritivas de uma ração complementam os saudáveis alimentos vivos e/ou naturais (e vice-versa).

Procure oferecer também rações que possuem caroteno na formulação do alimento. São substâncias que intensificam, naturalmente, a coloração dos Cabeça de Fogo (Hemigrammus bleheri).

Deve alimentar diariamente de 1 a 2 refeições ao dia parece ser ideal, principalmente nos aquários comunitários mistos, que quando devidamente equilibrados criam uma biologia própria de pequeninos seres que se desenvolvem, e são típicos alimentos naturais para os peixes.

Um aquário que não recebe remédios cria naturalmente, uma microfauna (e flora) que alimenta os peixes (em pelo menos 50% de suas necessidades diárias). É por isso que o aquário dá uma boa tranquilidade ao aquarista, que pode viajar alguns dias, sem maiores preocupações. Um temporalizador liga e desliga a luz e a alimentação natural existe no aquário. Se você vai viajar muitos dias aí sim acostume-se a usar um “alimentador automático”. Aprenda a usa-lo bem antes da viagem, para que você acompanhe o seu funcionamento normal e perceba se a ração, não está humedecendo no alimentador e com isso não estará a caindo na água no momento que deveria cair. Fique atento.

Deixe a Natureza agir a seu favor e entenda que seu aquário é um pedaço natural desta Natureza dentro de sua casa.

A refeição pode ser dada em um momento especial do dia que você está mais tranquilo e com mais tempo para pelo menos ter 10 minutos para observar a rotina de seu aquário. Nos momentos das refeições se aprende muito aquarismo, principalmente na observação ao comportamento geral do grupo de peixes que você possui. E é talvez o momento mais interessente de olhar para um aquário. O que torna um exercício diário um aprendizado.

Você aprenderá a reconhecer cada peixe, se familiarizará com seus hábitos e poderá, assim, pré-perceber qualquer anormalidade no aquário. Lembre-se que o diagnóstico de algum eventual desequilíbrio na água do aquário, ou possível doença nos peixes, é feito sempre no visual. Os peixes adoentados devem ser separados para o aquário de quarentena (também usado com aquário hospital), e tratados adequadamente com medicamentos fungicidas, bactericidas ou parasiticidas, conforme a doença observada.

É interessante você adotar um horário mais ou menos fixo para dar as refeições. Os peixes se acostumam com estes horários. Uma alimentação saudável, variada e bem planejada pelo aquarista vai certamente, melhorar e manter a saúde dos peixes e do aquário. Uma outra grande virtude de um aquarista de sucesso é ter uma preocupação especial com a alimentação dos peixes e com o cardápio alimentar diário.


2. Parâmetros de Água

O Hemigrammus bleheri possui um colorido todo particular, principalmente na região da cabeça, avermelhada que se destaca em seu corpo prateado. Como é um peixe frágil e delicado, as oscilações nos parâmetros da água devem ser sempre evitadas.

A primeira semana do Cabeça de Fogo (Hemigrammus bleheri) no aquário é bastante crítica, pois ele deverá se adaptar a realidade do aquário, com a decoração, com a luminosidade, com as plantas, com a alimentação, com os companheiros de aquário misto e principalmente com as características da água, que deve ser ácida, mole (dureza GH bem baixa) e tropical (temperatura tropical).

Os parâmetros mais indicados são:

Parâmetros de Água

  1. pH      6,4 a 7,0
  2. GH (dureza) Bem mole (0 a 4)
  3. Temperatura (°C)   24 a 28

Em um aquário com água neutra (pH 7,0) a coloração do Cabeça de Fogo pode ficar um tanto mais clara. Quanto mais ácida a água estiver, mais a tendência de ficar com a região da cabeça mais avermelhada e as listras da cauda mais pretas. Faça testes periódicos (semanais) na água. Anote os resultados e faça um acompanhamento dos valores.

Além do pH, da Dureza (GH) e da temperatura da água, procure fazer também testes de Amónia e Nitrato. O Cabeça de Fogo se intoxica com uma taxa de Nitrato superior à 30 mg/1. Fique atento a este fatores. A troca parcial periódica da água do aquário dilui o Nitrato. Também será uma boa opção colocar de removedor de Nitrato no filtro Um aquário repleto de plantas também absorve o Nitrato, que é a fonte de alimento para as plantas.

Em complemento deste artigo, veja também:

Noções básicas da reprodução do Hemigrammus bleheri ou Cabeça de Fogo

Um aquário plantado especialmente pensado para os Cabeça de Fogo

Com os dados bem anotados, ficará mais fácil diagnosticar algum eventual desequilíbrio no ambiente do aquário. Com isso poderá se feitas os rápidos ajustem necessárias a qualidade da água, mantendo assim a saúde e o bem-estar dos peixes.

O Cabeça de Fogo (Hemigrammus bleheri) gosta de viver em uma água moderadamente movimentada.

A troca parcial de água é importante para o Cabeça de Fogo, faça uma troca parcial mensal de 25%. Esta troca ajuda no equilíbrio do aquário e “simboliza” a “chuva” que cai no ambiente natural e faz renovar a água do local. Cuidado com o “choque” de águas com diferentes características. A água nova deve ser ácida.

Existe também uma interessante corrente de pensamento que mostra que um aquário velho, montado há muito tempo, onde trocas parciais de água não são feitas (apenas é feita a reposição da água que evaporou), este ambiente pode ser indicado para os Cabeça de Fogo recém-adquiridos, que parecem adorar água velha. Mas o filtro deste aquário, deve de ter uma manutenção periódica.

A trocas mais constantes e maiores, é no caso que o aquário tenha uma população muito grande de peixes e/ou possua poucas plantas. A troca de água é uma “ferramenta aquarística” útil para o aquarista perceber algum sintoma de desequilíbrio ambiental no aquário. As vezes as trocas, sozinhas já ajudam no combate às eventuais doenças nos peixes. Esta dica é importante, pois os remédios não devem ser colocados em um aquário comunitário misto (apenas em aquário hospital). Principalmente porque no caso particular dos Cabeça de Fogo são relativamente sensível aos medicamentos na água.

Mas também deveremos ter cuidado com trocas exageradas, porque os Cabeça de Fogo são muito sensível à estas mudanças, que também é o caso de muitos outros peixes.


3. O Aquário

O aquário de Cabeça de Fogo (Hemigrammus bleheri) poderá simular o seu habitat natural, ou seja, a Bacia Amazónica. Existem muitas opções de peixes ornamentais amazónicos para viverem, em conjunto com um grupo de Cabeça de Fogo e atualmente a ideia dos “aquários geográficos” está se popularizando muito entre as práticas aquarísticas, e isso em todo o mundo.

Para um aquário geográfico, o tamanho do aquário é bastante importante para manter e ter espaço para as diversas espécies que convivem juntas, Quanto maior puder ser o seu aquário melhor será para os seu ocupantes.

Não tem a necessidade do aquário muito alto. Pense em uma réplica de um espaço natural da beirada de um córrego, terá que ser bem plantado e com troncos.


4. Decoração

Pensar na Bacia amazónica e em criar um ambiente o mais semelhante e mais aconchegante o possível, confira algumas opções de decoração (e naturais) que podem ser adicionados no aquário.

Troncos submersos (de Aroeira) judam a formar zonas de sombreamento no aquário. Com os troncos semi-submersos, também podemos ajuntar grandes pedras lisas e chatas.

Cabeça de Fogo

Folhas secas de Terminalia

Como já foi diversas vezes referido, devera ter diversas plantas naturais. No fundo do aquário poderá ser parcialmente forrado com folhas secas de Carvalho ou “Chapéu-de-sol” (Terminalia catappa). Estudos mostram que as folhas Terminalia catappa são estimulante da reprodução, tem alto poder antifúngico, antibactericida, antiparasiticida, intensifica as cores dos peixes, melhora a saúde geral dos peixes, baixa o pH naturalmente e simula as condições das águas escuras “cor de chá”.

Todo o aquário é um habitat formado pelo aquarista. É artificial no momento da montagem, mas vai “ganhando vida” à partir dos primeiros dias e logo se transforma em um pequeno habitat natural. Ao longo do tempo vai evolui, se estabiliza, podem acontecer acidentes naturais, se reequilibra e vai se ajustando biologicamente o é a chamada “acomodação natural”.

Você necessariamente não precisa ficar fixo na ideia de montar um espaço que simule um ambiente amazónico, para acomodar os Cabeça de Fogo (Hemigrammus bleheri). Você pode formar o seu ambiente especial, faça o seu projecto, onde a mistura de peixes e plantas de diversas regiões do mudo serão destaques neste aquário. E este aquário ficará igualmente bonito e decorativo.

Em complemento deste artigo, veja também:

Noções básicas da reprodução do Hemigrammus bleheri ou Cabeça de Fogo

Um aquário plantado especialmente pensado para os Cabeça de Fogo


5. O Substrato (solo)

No caso de um micro-habitat Amazónico, os tipos de substratos que podemos utilizar, são pedrinha rolada de rio (grãos miúdos), cascalho de pedra rolada. Também temos a possibilidade de utilizar areia fina de construção (de cor escura), neste caso, terá que ser muito bem lavada para retirar todos ou quase todo os traços de lama.

As plantas vão dar vida e condiciona naturalmente a água do aquário, o que vai favorecer os peixes. As plantas são muito importantes para o aquário, pois funcionam como um “filtro natural” para a água.

Em regra geral, poderá ser plantada 1/3 da área do solo que é o suficiente, e é também conveniente para os Cabeça de Fogo se sentirem bem no aquário. Elas retiram os nutrientes que precisam, consomem os Nitrato (tóxico quando em altas concentrações), absorvem gás carbônico e fornecem oxigênio para os peixes. Elas também ajudam a manter o ambiente equalizado e equilibrado, os peixes vão sentir protegidos quando nadam entre a vegetação.

Trichogaster microlepis
planta aquario potamogeton gramineus
Potamogeton Gramineus
O nosso grupo no Facebook
Potamogeton Gramineus
Aqualon-2010-Janeiro-Fevereiro-Marco
Aqualon - 2014 - Julho - Agosto - Setembro
Copyright © 1983- 2020 todos os direitos de autor reservado. Todas as informações e fotografias contidas nesta página não podem ser reproduzidas, mesmo parcialmente, sem o acordo do autor.
Uma paixão que já dura desde da década de 80, mais precisamente em 1983, o ano da descoberta do mundo da aquariofilia com o meu primeiro aquário de 60 litros, neste momento posso dizer que tenho um conhecimento médio/alto. Bio-Peixe Grupo no Facebook ou Facebook