BioPeixe.com

Bio Beixe

Tudo o conhecimento para o seu aquario

Categoria: Aquecimento

Esta página teve 552 views
Os vários aquecedores utilizados em aquários

Os Aquecedores com termóstato

Reúnem em um tubo de vidro, o termóstato e o aquecedor, o primeiro está situado na parte superior e a resistência na parte inferior. Na cabeça dos aquecedores possuíam um regulador para ajustar a temperatura, em alguns modelos a cabeça é também submergível, mas os aquariofilistas mais experientes preferem deixa-lo de fora da água, não só para evitar acidentes, como para fazer pequenos ajustes na temperatura quando for necessário, por exemplo elevar a temperatura para a reprodução ou tratar alguma doença.

 

Aquecedors com termostato de aquarioAssim os aquecedores com termóstato coloca-se em posição vertical num canto traseiro do aquário, junto do corte em ângulo da tampa. Convém estar seguro por ventosas para evitar danos do aquecedor. É também necessário assegurar que em arredor haja uma boa circulação da água, perto da saída do filtro ou colocando um difusor de ar ao lado, para assim evitar-se zona mais quentes e outras mais frias na água do aquário. São aparelhos compactos, úteis e funcionais porque reduzem o número de elementos estranhos dentro do aquário e o número de fios elétrico na parte de trás do aquário. Tem o inconveniente de não se fabricarem em tamanho pequeno, o que obrigada a colocá-los atravessados em aquário mais pequenos, com um resultado de estético duvidoso.

Aquecedores com termóstato integrado em filtro exterior, aquecedoresAquecedores com termóstato integrado em filtro exterior

Estes tipos de aquecedores tem grandes vantagens em relação aos outros sistemas. Estão instalados em potentes filtros exteriores e só recomendado para grandes aquários. Como a água circula pelo filtro a uma grande velocidade o calor difunde-se rápida e homogeneamente por todo o aquário. Temos também toda a instalação do filtro e aquecimento em um só fio. O seu principal inconveniente é o seu preço. Embora tenha alguns inconvenientes, alguns aquariofilistas, digam que tem que parar o filtro para administrar algum medicamento e que por isso ficamos sem aquecimento, a solução é muito simples, quando o filtro tem carvão ativado, simplesmente é só retirar o carvão, e deixar o filtro a trabalhar com o resto das matérias filtrantes.

 

Mantas térmicas para aquario, aquecedoresMantas térmicas

São relativamente recentes na aquariofilia, embora nos terrários sejam instaladas já a muitos anos. A resistência disposta numa superfície quadrada muito plana que se situa debaixo do aquário (fora dele) por cima de uma superfície isoladora que ajude a irradiar o calor para cima. Podem ser controladas por um termóstato convencional ou por um termóstato eletrónico, que se coloca fora do aquário junto a um dos vidros. A perda de sensibilidade por estar fora da água é compensada por serem aparelhos mais precisos. Também a destes aparelhos digitais. Em grandes instalações tem a vantagem de um só termóstato poder controlar até 1200 w de potência, enquanto os termostatos de vidros não são recomendáveis que passem dos 300W.

Cordão de aquecimentoCordão de aquecimento, aquecedores

Outras soluções de aquecimento “de interior” é o cordão eléctrico que colocamos debaixo do areão do aquário. Este tipo de aquecedor oferece esta vantagem que os peixes não se queimem. É o melhor sistema de aquecimento para grandes aquários em que se deseja uma abundante vegetação.

 

O cálculo da resistência adequada para determinado aquário, pode ser feito na base de um Watt por litro. Como se sabe a água quente é menos densa do que a fria, o que provoca no aquário, uma zona mais quente junto a superfície, arrefecendo gradualmente até no fundo e originando portanto uma estratificação térmica. Para evitar que isto aconteça é necessário dispor de uma boa movimentação da água que se consegue, com o funcionamento de uma ou mais pedras difusoras. O controlo da temperatura da água do aquário é feito por um termómetro.

A uma necessidade de aquecer o substrato, para certas espécies de plantas (Barclaya longifolia, mais especificamente), já a há muitas plantas que gostam de ter as raízes enterradas num solo mais quente do que a temperatura da água do aquário.

Estas plantas têm certas necessidades como por exemplo:

  1. O substrato mais quente para acelerar processos bioquímicos.
  2. Transportar nutrientes da água para o substrato. Elementos importantes seriam a amónia (proveniente das dejetos dos peixes, etc.), ferro (proveniente da adição de elementos raros, oligoelementos), cálcio, potássio e outros oligoelementos. Serão assim repostos no solo e estes nutrientes serão utilizados pelas raízes e proporciona uma viabilidade a longo prazo (em termos de anos) a qualidade do solo.
  3. Transportar produtos nocivos para fora do substrato. Produtos da decomposição que são prejudiciais param as raízes das plantas. Existe também alguma conjetura sobre o fenómeno de algumas plantas libertarem toxinas em pequenas concentrações, afastando assim outras plantas do seu território (algumas algas vivem à custa deste processo). Se estas toxinas se acumulam por falta de circulação, a planta pode prejudicar-se a si mesma.
  4. Proporcionar um meio de ligação da união bivalente dos oligoelementos com uma molécula orgânica, permitindo que esse oligoelemento seja absorvido pela estrutura capilar das raízes.
  5. Proporcionar um meio redutor, em vez de oxidante, que permita manter o estado bivalente dos elementos raros (utilizável pelas plantas) ou a redução do seu estado oxidado trivalente. Especialmente o ferro será rapidamente oxidado em contacto com a água com níveis normais de oxigénio.

Os cabos de aquecimento proporcionam as plantas de substrato mais quente, o calor necessário para os processos bioquímicos. As correntes de convecção geradas pelas fontes de calor localizadas nas resistências de aquecimento provocam o transporte de nutrientes e toxinas. A laterite em 1/3 do fundo de substrato proporciona o meio catalisador. As lentas correntes de convecção, juntamente com as colónias de bactérias nitrificante no substrato reduziram a presença de oxigénio em direção ao fundo, proporcionando um ambiente ideal para termos de qualidade no aquário.

Anostomus anostomus
potamogeton-coloratus
Potamogeton Coloratus
O nosso grupo no Facebook
Potamogeton Coloratus
The Aquarium
Copyright © 1983- 2019 todos os direitos de autor reservado. Todas as informações e fotografias contidas nesta página não podem ser reproduzidas, mesmo parcialmente, sem o acordo do autor.
Uma paixão que já dura desde da década de 80, mais precisamente em 1983, o ano da descoberta do mundo da aquariofilia com o meu primeiro aquário de 60 litros, neste momento posso dizer que tenho um conhecimento médio/alto. Bio-Peixe Grupo no Facebook ou Facebook