BioPeixe.com

Bio Beixe

Tudo o conhecimento para o seu aquario

Categoria: Filtro

Esta página teve 1.326 views
O equilíbrio biológico na natureza e do aquário

O equilíbrio biológico, de uma certa forma é simples, mas em muitos casos torna-se difícil do conseguir, mas não é impossível.

Na natureza os vegetais, principalmente as algas servem de alimento para os animais herbívoros, sendo estes por sua vez devorados pelos carnívoros. A matéria orgânica, constituída pelo resto de origem vegetal, os excrementos e os cadáveres dos animais, decompõe-se pela acção das bactérias e é transformada em matéria inorgânica, constituindo em parte os chamados sais minerais. As plantas voltam a converter em mateira orgânica o anidrido carbónico resultante da respiração dos peixes e com a luz solar, absorvem os sais minerais, e produzindo ao mesmo tempo oxigénio e a este processo todo se chama de equilíbrio biológico.

O equilíbrio biológico

Forma-se assim um equilíbrio biológico natural que, até a alguns anos os aquariofilista pensavam erradamente poder existir num aquário comunitário. Na realidade o que se passa na maioria dos aquários decorativos é que o número de peixes por volume de água é geralmente bastante superior ao da natureza, as plantas são quase sempre em número reduzido ou mesmo inexistentes. Isto da origem a uma grande quantidade de resíduos orgânicos, sob a forma de excrementos e de restos de comida, etc., e por outro lado, o reduzido número de plantas não é suficiente para assimilar os sais minerais resultantes da mineralização desses detritos pelas bactérias.

Para a remoção dos detritos em excesso dispomos dos filtros que retêm nas camadas filtrante as partículas em suspensão e fornecem ao mesmo tempo uma superfície de contacto muito maior entre a água e a flora bacteriana ajudando assim a transformação da matéria orgânica em sais minerais. Estes sais minerais em pequena quantidade vão-se acumulando no aquário porque encontrando-se dissolvidos na água, não podem ser retidos pelo filtro. Para os eliminar é necessário proceder-se regularmente a mudanças parciais da água do aquário por água nova. Chegamos portanto a conclusão de que o tal equilíbrio não é um fim a atingir mas sim algo que se vai mantendo com a ajuda do aquariofilista.

A filtração

O filtro tem por função eliminar os restos do aquário, uma manutenção regular do filtro e essencial para manter um bom equilíbrio biológico no aquário. Para que esta não se transforma em um verdadeiro depósito do qual a água do aquário circule em permanência, existe 3 métodos de filtração: mecânica, biológica e química. Os dois primeiros tipos são indispensáveis, o terceiro serve apenas para casos pontuais onde há necessidade de atingir parâmetros e níveis de qualidade de água que não seriam possíveis com os dois primeiros, pelo menos com a rapidez e/ou urgência necessária.

  • A filtração mecânica que retira da água as impurezas em suspensão.
  • A filtração química que retira da água as mateiras dissolvidas.
  • A filtração biológica utiliza a presença das bactérias para reduzir as substâncias tóxicas em produtos menos perigosos.

Os filtros mecânicos e químicos:

A água atravessa uma caixa ou um cilindro contendo as matérias de filtração. Este recipiente pode estar colocado do interior ou do exterior do aquário. Em quase todo o caso utilizamos vários meio para que os filtros mecânicos e químicos possam trabalhar em simultaneamente, este filtro em muitos casos principalmente nos aquários grande, não é muito eficaz em manter o equilíbrio biológico.

Filtro mecânico:

A filtragem mecânica tem como único objectivo retirar da água, substâncias sólidas, como excrementos dos peixes, restos de comida, pequenos pedaços de folhas mortas, etc. Além de serem inestéticos, estas substâncias devem ser removidas da água antes de iniciarem o seu processo de decomposição e poluição da água com substâncias tóxicas. Para eliminar estas impurezas suspensas dentro da água é geralmente usado um material artificial tal como as fibras de nylon ou de algodão sintético especialmente concebido para a aquariofilia.

Filtração química:

A filtragem química consiste na utilização de massas filtrantes que removem os poluentes atraindo-os através da polaridade das moléculas, por outras palavras, a eletronegatividade dos átomos faz com que estes atraiam para si eletrões de ligação e que os partilhem com outros átomos numa ligação covalente. E é isto mesmo que acontece, são usadas massas filtrantes que vão atrair para si estas moléculas dos poluentes. As massas mais comuns são o carvão ativado que é usado em aquariofilia para remover quase tudo da água e a argila zeolite que é usada para remover a amónia. Também há massas específicas para absorver metais pesados, tanino, nitritos, nitratos, fosfatos, silicatos e outros.

O carvão ativado é de todas as massas que eu conheço a mais barata, funciona muito bem com o objectivo de absorver tudo, e este é o seu principal defeito, absorve o que queremos e não queremos, muitas das substâncias necessárias para um bom equilíbrio biológico do aquário, e principalmente se for plantado, são absorvidas. Outras massas poderão ser utilizadas com o fim específicos de absorver apenas o que queremos, mas são mais caras.

Este tipo de filtragem não é um sistema a utilizar a longo prazo nos vossos aquários e a sua utilização serve para resolver problemas pontuais muito específicos como eliminar amónia em aquários recentes, manter a água com níveis zero de poluição em aquários de criação, maternidades, aquários hospital, etc.

Filtração biológica:

Ao contrário dos métodos mecânicos e químicos, a filtração biológico tem como princípio de neutralizar as substâncias tóxicas contidas na água. A filtração biológica é muito eficaz para o amónio, o produto que as bactérias que se alimentam, de todos as substanciam decompostas (as fezes libertadas pelos peixes e os alimentos não consumidos). O amónio também é fabricado pelos peixes quando respiram. Dentro deste sistema instala-se um micro sistema que muda os compostos de amónio e os nitritos em nitratos. As bactérias se instalam na superfície do areão do aquário mas o meio mas rico em oxigénio favorecem o seu desenvolvimento.

Embora não recomendo, mas este é um método muito eficaz. Instala-se ao fundo do aquário uma placa que tenham várias ranhuras para que a água possa circular através do areão. Para quando a água carregada de amónio encontram as bactérias, a água tem um duplo metabolismo. Em 1º lugar as bactérias nitrosomonas transformam o resido em amónio.

Os nitritos que são em sua vez transformados em nitratos pelas bactérias nitrobactéria. Bem que os nitratos riscam de impedir o crescimento dos peixes. Mas eles são muitos menos tóxicos do que o amónio. Os nitratos podem constituir de alimento para as plantas. Estes tipos de filtro oferecem alguma facilidade. São discreto, não exige a presencia de múltiplos tubos e são silencioso. A filtragem biológica tem períodos de manutenção trimestrais ou mesmo semestrais o que a torna incompatível com a filtragem mecânica.

A composição da água e os filtros:

Podemos utilizar os filtros para modificar a composição da água. Metendo dentro o copo do filtro um composto argiloso para uma água acida ou resinas para trocar os iões diminuído assim a dureza da água.

Aplocheilus lineatus
planta aquario Potamogeton perfoliatus
Potamogeton Perfoliatus
O nosso grupo no Facebook
Potamogeton Perfoliatus
The Aquarium
Copyright © 1983- 2020 todos os direitos de autor reservado. Todas as informações e fotografias contidas nesta página não podem ser reproduzidas, mesmo parcialmente, sem o acordo do autor.
Uma paixão que já dura desde da década de 80, mais precisamente em 1983, o ano da descoberta do mundo da aquariofilia com o meu primeiro aquário de 60 litros, neste momento posso dizer que tenho um conhecimento médio/alto. Bio-Peixe Grupo no Facebook ou Facebook