BioPeixe.com

Bio Beixe

Tudo o conhecimento para o seu aquario

Categoria: Filtro

Esta página teve 949 views
O filtro ultravioleta tem a sua utilidades no aquário

O filtro ultravioleta apesar da controversa tem a sua utilidades no aquário, dês que seja bem utilizado.

A utilização do filtro ultravioleta ajuda na eliminação de microrganismos patogénicos da água deve ser uma prioridade, se você pretende manter uma população aquática estável e livre de doenças, principalmente quando estamos a lidar com peixes sensíveis a medicamentos convencionais. Uma maneira mais prática e económica é realizar a esterilização através de um dispositivo emissor de raios UV (ultravioleta). Esse dispositivo tem a capacidade de eliminar todo tipo de organismos vivos a solta na água, principalmente bactérias, protozoários e esporos de fungos ou algas. Os raios ultravioletas destroem com grande eficácia uma enorme variedade de microrganismos que nadam livremente na água do aquário. Estes pequenos seres são eliminados devido ao efeito destrutivo que a radiação UV tem sobre as moléculas do ácido nucleico celular. A degradação do núcleo celular produz a morte instantânea do organismo.

Filtro ultravioleta

Existe, no entanto, sério problema no uso desse tipo de filtro Ultravioleta e no método de uso, como veremos abaixo. A Luz Ultravioleta e invisível para o olho humano, apesar das lâmpadas que emitem UV, chamadas germicidas terão um brilho azul esverdeado (nunca acenda uma lâmpada de ultravioleta fora do filtro. Os raios de UV causam danos irreversíveis ao olho humano). Os efeitos da luz ultravioleta têm o efeito algicida, bactericida e contra vária patogenia que ocorrem na água de aquários. Funciona contra todos esses problemas da mesma maneira, sob luz UV, o organismo tem seu ADN (DNA) desactivado, sendo portanto incapazes de se reproduzirem. A radiação das lâmpadas UV é alta, e elas trabalham por irradiação.

Existe outro benefício no uso de um bom filtro ultravioleta, ele ajuda a quebrar moléculas orgânicas dissolvidas e diminui em conjunto com o uso de um bom skimmer, a carga orgânica do aquário.

O funcionamento perfeito de um filtro ultravioleta depende de 3 fatores:

  1. O tamanho do organismo alvo.
  2. A quantidade de radiação gerada.
  3. A penetração da radiação UV na água.

Normalmente quanto maior o organismo mais e a resistente a radiação UV.
A dosagem de radiação é medida em Mv/S/cm2, de maneira que o organismo alvo só será atingido se passar a certa velocidade do tubo do filtro, que encapsula a lâmpada como vemos abaixo.

 

Dosagem em Microwatt / segundo/ cm2

Organismo

Dose

Bactérias

Bacillus anthracis

8.700

Bacillus megatherium sp (veg.)

2.500

Bacillus megatherium (esporos)

5.200

Bacillus paratyphosus

6.100

Bacillus subtilis (vários)

11.000

Bacillus subtilis (esporos)

22.000

Clostridium tetami

22.000

Corynebacterium, Difteria

6.500

Bacilos de desenteria

4.200

Eberthella yphosa

4.100

Escherichia coli

6.600

Micrococcus candidus

12.300

Micrococcus piltonensis

15.000

Micrococcus sphaeroides

15.400

Mycobacterium tuberculosis

10.000

Neisseria catarrhalis

8.500

Phytomonas tumefasciens

8.500

Proteus vulgaris

6.600

Pseudomonas aeruggenosa

10.500

Pseudomonas fluorescens

6.600

Salmonella

10.000

Samonella enteritides

7.600

Salmonella typhimurium

15.200

Sarcina lutea

26.400

Serratia marcescens

6.160

Shigilla paradysenterlae

3.400

Spirillum rubsum

6.160

Staphylococcus albus

5.700

Staphylococcus aureus

6.600

Streptococcus hemolyticus

5.500

Streptococcus lactis

8.800

Streptococcus viridans

3.800

Fermentos

Saccharomyces ellipsoideus

13.200

Saccharomyces Sp.

17.600

Saccharomyces cerevisiae

13.200

Fermento de cerveja

6.600

Fermento de pão

8.800

Fermento comum de bolo caseiro

13.200

Esporos de Bolor

Penicillum roqueforti

26.400

Penicullum expansum

22.000

Penicillum digitatum

88.000

Aspergilus glaucus

88.000

Aspergilus flavus

330.000

Rhisopus nigricans

220.000

Mucor racemosus A

35.200

Mucor racemosus B

35.200

Oospora lactis

11.000

Virus

Bacteriófagos (E. coli)

6.600

Mosaico do Tabaco

440.000

Influenza

6.800

Protozoários

Parameium

200.000

Ovos de nematóides

92.000

Clhorella vulgaris (microalga)

22.000

Fungos

45.000

Parasitas

Icthtyosphtirius livrenadante (ciliados de água doce)

400.000

Icthtyosphtirius no peixe (água doce)

1.717.200

Oodinum ocellatum livrenadante (marinho)

35.000

Cryptocaryon irritans livrenadante(marinho)

800.000

 

Então, vamos à prática:

Em primeiro lugar, a lâmpada germicida (marcas conceituadas como Philips, GE e outras), só emite a radiação germicida necessária a temperaturas entre 40 e 40,5ºC. Isso quer dizer que para um filtro Ultravioleta funcionar direito, ele tem que ter um compartimento que chamamos “luva”, que abrigará a lâmpada para que ela permaneça acesa na temperatura correta. Além disso, a luva tem que ser produzida apenas e somente de material transparente, que permita a passagem de UV e que não se estrague em contacto com ela para nossa felicidade essa coisa incrível existe e se chama “luva de quartzo”. O quartzo é o único material que pode ser usado em filtros que pretendam ser 100% eficientes.

Não quero dizer que os filtros comuns que encontramos no mercado não funcionem porque não possuem a luva de quartzo, mas o máximo de eficiência possível não passa de 35 a 40%, e os organismos maiores como os parasitas de água salgada citados acima precisariam passar várias vezes pelo filtro, ou passar por ele muito lentamente para serem desabilitados. Portanto, é necessário na prática usar filtro Ultravioleta que tenha luva de quartzo.

Um filtro Ultravioleta é tão mais eficaz quanto mais lentamente a água do aquário passe por dentro dele. Por isso a relação entre o volume do aquário e o consumo da lâmpada é tão importante. Como a água de nossos aquários geralmente é bastante turva, apesar de isso não parecer ser assim para nossos olhos, o tubo que conter a luva de quartzo não pode ter mais que 2,5 cm entre sua parede e a parede da luva. Além dessa distância os raios de luz UV se tornam cada vez menos capazes de eliminar os organismos alvos.
Toda a água do aquário de maneira teórica devera passará através do filtro em 24 horas quantas vezes se desejar em escolhendo a bomba de água correta para este fluxo. Existe uma fórmula para calcular a bomba de água que precisa ter para fazer com que a água passe pelo filtro:

Tempo = 9,2 x (Vol/Vazão)

Exemplo prático: Aquário de 300 litros com bomba de 500 litros por hora: 9,2 X (300/500) = 5,52 horas. Isso quer dizer que a cada 5,52 horas todo o volume do aquário passará pelo filtro dando uma taxa de aproximadamente 4,5 vezes todo o volume de água do aquário em 24 horas. Podemos considerar essa taxa, boa para atingir o objectivo desejado que é eliminar todos os alvos possíveis.

 

Só nos falta agora determinar a lâmpada a usar.
15 watts = 3.907 Mw/S/cm2
30 watts = 9.548 Mw/S/cm2

 

Para o exemplo acima, vemos que uma lâmpada de 15 watts é suficiente, pois ocorrerá a entrada suficiente de energia UV no aquário para atingir o objectivo que são 4,5 vezes em 24 horas o volume total do aquário num comprimento de 18 cm, terminando com 488.375 Mw de UV adicionados em toda a água do aquário (3907 x 500 x 4,5 / 18) em um dia. Isso dá e sobra para atingir mesmo os alvos mais resistentes.
Basta variar a relação entre fluxo, capacidade da bomba e comprimento da lâmpada, e aplicar os valores relacionados para atingir o objectivo desejado. Pode-se ver facilmente porque é que em água doce para eliminação de algas, costumamos usar filtros e bombas muito menores do que em água salgada, as micro-algas são fáceis de eliminar por precisarem de dosagem menor em Mw/S/cm2.
Portanto, para finalizar não é absolutamente necessário usar bombas de água tão potentes quanto normalmente se recomenda, aliás isso só serve para prejudicar o funcionamento do filtro. É bem inteligente usar um filtro de UV que tenha lâmpada de quartzo (desconfie de filtros demais baratos pois provavelmente a luva será de vidro que filtra radiação UV, pois quartzo é caro).

Instalação do Equipamento.

A unidade UV deve ser instalada em um lugar de fácil acesso para podermos realizar a manutenção necessária, um local arejada evitando-se aquecimento excessivo do equipamento e que não fique recebendo respingo do aquário. Deve-se conectar a unidade preferencialmente na saída de um filtro externo para que haja uma boa filtragem mecânica da água antes de entrar no sistema. Contribuindo assim para manter a eficácia do sistema. Caso não possua um filtro o esterilizador pode ser conectado a qualquer tipo de bomba comum, observando sempre a potência da mesma.

Trichogaster lalius
planta aquario Echinodorus berteroi
Echinodorus Berteroi
O nosso grupo no Facebook
Echinodorus Berteroi
Practical Fishkeeping - 2016 - 04-Abril
The Aquarium
Copyright © 1983- 2019 todos os direitos de autor reservado. Todas as informações e fotografias contidas nesta página não podem ser reproduzidas, mesmo parcialmente, sem o acordo do autor.
Uma paixão que já dura desde da década de 80, mais precisamente em 1983, o ano da descoberta do mundo da aquariofilia com o meu primeiro aquário de 60 litros, neste momento posso dizer que tenho um conhecimento médio/alto. Bio-Peixe Grupo no Facebook ou Facebook