BioPeixe.com

Bio Beixe

Tudo o conhecimento para o seu aquario

Categoria: Reprodução

Esta página teve 663 views
A reprodução dos Cyprinidae (Ciprinídeos)

A reprodução dos Cyprinidae (Ciprinídeos), na maioria das fez se fazem nos aquários comunitários sem que nos aperceber.

A espécie dos Cyprinidae ou seja os Ciprinídeos que são mais conhecidos com este nome, estes peixes espalham livremente os seus ovos que, sendo mais pesados do que a água, caem até ao fundo do aquário assim que são expelidos pela fémea. Os mais conhecidos de entre os peixes deste grupo são os membros do género Brachydanio (Brachydanio rerio) e Brachydanio albolineatus (Danio pérola). Quando se pretende reproduzir estes Ciprinídeos, deve-mos colocar os reprodutores em um aquário compridos pouco fundos. O ideal será um aquário de 50 cm ou mais de comprimento, com uma altura de água de 10 a 12,5 cm. O fundo do aquário deve ser recoberto com uma camada de seixos ou com um tapete de Nitelia ou de Myriophyllum preso com seixos. A água do aquário deve assentar apenas durante 24 horas. A temperatura da água deve ser de 26 graus e o seu pH de 6,8.

 

Sabem mais sobre os Cyprinidae ou Ciprinídeos

reprodução dos CiprinídeosPode se utilizar, como reprodutores um único casal, ou se o aquário for grande e se pretender uma desova maior, deve-mos utilizar três machos e duas fêmeas. A fêmea ou fêmeas condicionadas devem ser colocadas no aquário de reprodução de manhã, e os machos ao fim do mesmo dia. Se as condições forem correctas, a desova terá lugar na manhã seguinte.

Os machos dos Ciprinídeos perseguem violentamente as fêmeas de um lado para o outro, a todo o comprimento do aquário. Estimuladas por essa perseguição, as fêmeas espalham os ovos na água, onde são fertilizados pelo líquido seminal ou esperma dos machos. Os ovos caem para o fundo do aquário, onde ficam escondidos na camada de seixos previamente preparada. Compreende-se assim porque é que a reprodução se deve fazer num aquário comprido e de pouca profundidade, com o fundo bem recoberto. Se o aquário for demasiado curto e a altura de água muito grande, os pais devoram os ovos antes de estes chegarem ao fundo. Depois de a desova chegar ao fim, tiram-se os pais e deixam-se os ovos eclodir naturalmente. Os ovos não necessitam de quaisquer cuidados.

A eclosão dá-se ao fim de cerca de 76 horas, a uma temperatura de 26 graus. Os alevins dos Ciprinídeos recém-nascidos aderem às paredes laterais do aquário, parecendo pequenos girinos. Durante este estádio vivem do saco vitelino não absorvido, que lhes distende do ventre. Ao fim de dois dias começam a nadar livremente e devem ser alimentados com quantidades abundantes de infusórios ou com comida para alevins de textura muito fina. Se o condicionamento for bem feito, pode contar-se com dez desovas por ano.

Brachydanio rerio (Zebra)

Estes Ciprinídeos são robustos e prolíficos. Podem viver a temperaturas compreendidas entre os 7 e os 37 graus, se bem que prefiram uma temperatura de 26 graus. Tem havido casos em que casais destes peixes podem desovar durante meses seguidos de 80 a 100 ovos férteis, a intervalos de doze a quinze dias. Quando a desova é interrompida, como acontece num aquário comunitário, a fêmea pode ir pondo alguns ovos todos os dias durante várias semanas, libertando de 5 a 10 ovos de cada vez. A reprodução pode se dar em qualquer altura do ano. Uma última advertência, não cubra o fundo do aquário com seixos muito grandes. Os pais podem tentar insinuar-se entre os seixos à procura dos ovos e ficarem entalados.

Tanychthys albonubes e Aphyocypris pooni

Estes lindos peixes de dimensões reduzidas contam-se entre os dispersores de ovos que se reproduzem mais facilmente. Os adultos comem ocasionalmente os ovos, mas raramente fazem mal aos alevins. Colocando alguns casais num aquário bem plantado e alimentando-os bem, e logo que atingem a maturidade começarão a aparecer alevins escondidos nos maciços de plantas que ficam perto da superfície.

A desova é quase contínua. As fêmeas põem alguns ovos por dia durante várias semanas, interrompendo depois a postura por um período também de várias semanas. Os ovos, como é evidente, vão eclodindo gradualmente, pela ordem da postura. Um aquário com muitas plantas e povoado exclusivamente com exemplares desta espécie em breve conterá peixes de todas as idades, desde os alevins acabados de sair do ovo até aos reprodutores adultos.

Brycinus longipinnis
planta aquario potamogeton gramineus
Potamogeton Gramineus
O nosso grupo no Facebook
Potamogeton Gramineus
The Aquarium
Copyright © 1983- 2020 todos os direitos de autor reservado. Todas as informações e fotografias contidas nesta página não podem ser reproduzidas, mesmo parcialmente, sem o acordo do autor.
Uma paixão que já dura desde da década de 80, mais precisamente em 1983, o ano da descoberta do mundo da aquariofilia com o meu primeiro aquário de 60 litros, neste momento posso dizer que tenho um conhecimento médio/alto. Bio-Peixe Grupo no Facebook ou Facebook