BioPeixe.com

Bio Beixe

Tudo o conhecimento para o seu aquario
Esta página teve 14 views
Noções básicas da reprodução do Hemigrammus bleheri ou Cabeça de Fogo

Imaginar que a reprodução espontânea do Cabeça de Fogo (Hemigrammus bleheri) não acontece no aquário, é justamente porque você nunca viu um alevino ao vivo, isto não indica que os peixes não acasalam em um aquário comunitário misto. Mas com uma certa perseverança, se pode observar a reprodução deste lindo peixe.

As reproduções ocorrem durante várias épocas do ano, principalmente nos Caracídeos, porem os adultos acabam comendo os próprios ovos dos outros peixes e deles mesmos, pois são peixes ovíparos (ou ovulíparos) que soltam os ovos livremente na água e não os protegem.

Em um aquário que tem um sistema de filtragem cuja água é sugada para uma Sump que não possui lã perlon como primeiro estágio; quando a água chega ao filtro para ser filtrada. Esta situação pode colaborar para que ovos de peixes ovíparos sejam sugados e caiam no Sump. Desta forma ficam protegidos dos peixes adultos que estão no aquário. Não será incomum observar, regularmente alguns alevins neste Sump que é normalmente, rica em micro alimentos naturais para eles.

Em complemento deste artigo, veja também:

O Cabeça de Fogo (Hemigrammus bleheri), sabem mais sobro este lindo peixe

Alguns concelhos para um aquário para o Cabeça de Fogo ou Hemigrammus bleheri

Manter estes peixes em um aquário comunitário misto é um tipo de prática comum nos aquaristas. A reprodução dos peixes é um outro tipo de prática aquarista, ou seja, exige um bom estudo sobre as características especiais da espécie de peixe. Exige a montagem dum aquário especial de reprodução, e específico com todas as condições para a perfeita adaptação dos reprodutores, para o namoro, para o acasalamento e para a desova.

Como os Caracídeos não protegem os ovos, o aquarista é que deverá protege-los.

Todo peixe tem, em geral, uma “receita de criação” que deve ser conhecida, estudada e adotada como ponto de partida inicial para sua criação. É claro que é caso a caso e dependendo da água de sua região, do clima de sua Cidade, das condições de seu ambiente de criação (criação em casa ou em estufa), alguns pequenos ajustes e adaptações são feitos nesta “receita de criação”, para adequa-la perfeitamente ao seu projeto de criação.

Não é nada fácil procriar o Hemigrammus bleheri ou Cabeça de Fogo.

Como todos os peixes da Família dos Caracídeos, os ovos são frágeis (“fungam” com facilidade) e exigem uma qualidade de água especial. Típica do seu ambiente natural, onde a água é muito mole (dureza GH muito baixa), é bem ácida e o efeito da floresta inundada e os “ácidos” que os troncos soltam. Tudo isso favorece para a proteção dos ovos, pois atuam como verdadeiros “bactericidas naturais”. E isso, no “aquário de reprodução”, as vezes é muito difícil de se conseguir.

Hemigrammus bleheri

Casal de Hemigrammus bleheri ou Cabeça de Fogo, em cima o Macho, em baixo a Fêmea

Mas vale a pena sempre tentar.

Como a temperatura da água de um aquário comunitário misto, ou de um aquário de reprodução fica sempre estável e durante a maior parte do ano, São possível ocorrer várias desovas durante o ano. Quanto mais espaçado o tempo entre cada desova, mais tendência terá a fêmea de soltar mais ovos. Estudos científicos destacam que uma fêmea de Hemigrammus rhodostomus pode produzir de 400 a 500 ovócitos, e uma fêmea de Hemigrammus bleheri pode produzir de 179 a 721 ovócitos.

Vamos a receita de criação do Hemigrammus bleheri

Existindo um grupo de Hemigrammus bleheri no aquário. Se conseguir identificar machos e fêmeas, use um aquário com divisória (removível) e coloque separados os sexos. As cores de alguns Nariz de Bêbado ficam mais vivas. Os peixes mostram-se mais agitados e se movimentam mais.

No grupo, os machos ficam muito mais coloridos do que as fêmeas. Quando se ajunta um macho a uma fémea, podemos observar o macho fica nadando em baixo da fémea, cortejando-a, é o “namoro”.

Em complemento deste artigo, veja também:

O Cabeça de Fogo (Hemigrammus bleheri), sabem mais sobro este lindo peixe

Alguns concelhos para um aquário para o Cabeça de Fogo ou Hemigrammus bleheri

O acasalamento se inicia. A fêmea solta os ovos próximos aos troncos e nas folhas de plantas, que são imediatamente fertilizados pelo macho, a fertilização acontece no meio da água. As fémeas maiores soltam mais ovos. Os ovos são semi-adesivos. Alguns caem no solo, alguns outros flutuam pela correnteza da água e alguns se fixam nas plantas, nos troncos e nos vidros. São minúsculos, e só são encontrados após muita observação (usando uma lupa).

Hemigrammus bleheriVerificando eventuais desovas, os adultos devem ser retirados do “aquário de reprodução”. A eclosão dos ovos demora de 1 á 3 dias dependerá da temperatura da água. Os alevins nascem, são muito pequeninos (observe-os com a “lupa”) e só começam a nadar por todo o aquário após alguns dias (4 a 7 dias). Nos primeiros dias de vida se alimentam do “saco vitelino” que possuem, e que é rico em nutrientes. Após alguns dias já devem receber alimentação dada pelo aquarista.

Aquário de Reprodução:

Quando se pensa em reproduzir peixes o ideal é que exista um aquário específico para esta finalidade. Monte um aquário de reprodução.

E como pode ser este “aquário de reprodução” para o Cabeça de Fogo (Hemigrammus bleheri).

O tamanho do aquário mínimo é de 30 litros, mas quanto maior puder ser o tamanho do aquário, melhor. Poderá ser aquário “pelado”, sem solo. Coloque este aquário em um ambiente com pouca claridade natural e não use luminária.

O dimorfismo sexual do Nariz de Bêbado é bem sutil, no entanto coloque um grupo neste aquário (de 8 a 12 peixes). Se você conseguir identificar o sexo, procure colocar metade de machos e metade de fémeas, separados por uma divisória de vidro. Use um aquário com uma divisória removível no meio. Coloque os machos de um lado e as fêmeas do outro. Alimente o grupo com uma grande variedade de alimentos, principalmente comida viva. Retire a divisória assim que perceber que os machos ficam com a cabeça muito mais avermelhada do que o habitual.

O aquário deve ter uma dureza da água (GH) bem mole (próximo de 0 ou até 5). Se necessário usa água de destilada (que é mole), ou água retirada de um deionizador (utilizado em aquários marinhos).Faça diversas tentativas com diversas durezas, para tentar encontrar um valor especial e adequado para o Cabeça de Fogo.

A temperatura da água deve de ser entre 25 à 28°C. O ideal é manter um termostato ligado regulado em 25°C quando o grupo for colocado neste aquário. Após 24 horas, sobem o termostato para 28°C. O aumento de temperatura pode motivar reproduções. Use um filtro de espuma soltando ar suavemente, para apenas movimentar a água. Uma outra opção seria usar um filtro interno “tipo copo” com lã perlon + turfa (ou algum outro produto acidificante natural).

O pH da água devera estar entre os 6,0 à 6,5 (use acidificante na água, se for necessário. Colocar muitas plantas soltas e de folhas miúdas e macias. Exemplo: Musgo de Java, Cabomba, Samambaia d’água. Deixe o aquário com muitas plantas. Pode incluir plantas artificiais de folhas macias.

Se poder, poderá colocar algumas folhas de açaí (Euterpe Oleracea), que também são usadas como substrato para a desova. Também pode colocar algumas folhas secas de “Chapéu-de-sol” (Terminalia Catappa). Elas ajudam no condicionamento da água. Podem também colocar alguns troncos pequenos.

A troca parcial de água não deve ser feita. Eventualmente, se necessário, você pode fazer uma troca parcial (coloque água nova com as mesmas características da água trocada), mas cuidado para não sifonar ovos ou alevins. Use uma mangueira bem fina de aquário e sifone mais pela região da superfície da água (local onde os filhotes normalmente não estão).

Não faça a lavagem do filtro. Só lave-o após os filhotes nascidos atingirem em média o tamanho de 5 mm.

Alimentação dos Alevinos:

Os alevins de Hemigrammus bleheri recém-nascidos ficam no fundo do aquário, quase que imóveis, e se alimentando naturalmente do conteúdo do saco vitelino por até 2 ou 3 dias.

Uma opção de “cardápio alimentar para os recém-nascidos”. E uma sugestão nossa.

A partir do 2º dia de vida dar infusórios. Você pode regar uma planta de vaso (exemplo: Samambaia, que não tenha adubo) com água sem cloro e acidificada (mesmo pH da água do aquário). A água que fica no prato do vaso é rica em micro alimentos naturais para os filhotes. Uma outra opção é água esverdeada. Você pode manter, no quintal de sua casa, uma caixa  de água com alguns kinguios, Carpas e plantas aquáticas soltas. Com o passar do tempo esta água tende a ficar esverdeada, rica em micro algas e micro alimentos naturais para os alevins.

A partir do 4º dia de vida pode alimentar com líquido para peixes ovíparos. Adquira-o nas lojas de aquarista. Após colocar o alimento líquido na água observe o comportamento dos alevins. Mas devera ter muito cuidado que o excesso de alimento líquido pode turvar e desequilibrar a água do aquário.

A partir do 7º dia de vida, os alevins já vão bem aceitar comida viva, Nauplios de Artêmia Salina. São alevins de Artemia recém-nascidos e muito pequeninos. Fiquem atentos que, as vezes os Nauplios podem ainda ser muito grandes para os alevins dos Cabeça de Fogo. Neste caso espere mais alguns dias para iniciar a alimentação com os Nauplios.

Em complemento deste artigo, veja também:

O Cabeça de Fogo (Hemigrammus bleheri), sabem mais sobro este lindo peixe

Alguns concelhos para um aquário para o Cabeça de Fogo ou Hemigrammus bleheri

A partir do 15º dia de vida podem começar a ver se os alevins aceitam bem Micro vermes é um mini verme branquinho. Você deve ser adquira com algum criador e/ou nas Lojas. Uma papa de aveia e água é o alimento dos Micro vermes. Poderá fazer uma nova cultura de Micro vermes a partir desta cultura adquirida inicialmente.

A partir do 30º dia de vida poderá dar início alimenta-los com ração fina em pó. Ração em flocos (vários os sabores) finamente pulverizada. Esmague bem os flocos por entre os dedos, formando um pó. Existem rações que já são em pó.

Com uma “lupa” observe o desenvolvimento dos alevins, que não pode estar nem com a barriga muito murcha, nem muito inchada. Controlando assim a quantidade de alimento que é oferecido, principalmente os Infusórios e Agua esverdeada (nos primeiros dias de vida).

A variação das refeições deve ser dada durante o dia (pelo menos 3 refeições ao dia). Conforme os dias vão passando, os Infusórios e a Agua esverdeada podem sair do Cardápio alimentar.

Os primeiros dias de vida dos peixes são os mais delicados e a dedicação do aquarista deve ser total.

Carnegiella strigata
echinodorus-subalatus
Echinodorus Subalatus
O nosso grupo no Facebook
Echinodorus Subalatus
Practical Fishkeeping - 2016 - 02-Fevereiro
Copyright © 1983- 2019 todos os direitos de autor reservado. Todas as informações e fotografias contidas nesta página não podem ser reproduzidas, mesmo parcialmente, sem o acordo do autor.
Uma paixão que já dura desde da década de 80, mais precisamente em 1983, o ano da descoberta do mundo da aquariofilia com o meu primeiro aquário de 60 litros, neste momento posso dizer que tenho um conhecimento médio/alto. Bio-Peixe Grupo no Facebook ou Facebook